2001. CHILE, UMA OPORTUNIDADE QUE NÃO SE PODE ESCAPAR

Printer-friendly versionSend to friendPDF version

Animados pelo seu grande êxito na produção e sobretudo a exportação de vinhos de qualidade, muitos produtores começaram a questionar-se porque não aproveitar estes canais de comercialização já existentes para introduzir um produto desde sempre muito vinculado ao vinho. A realidade é que a superfície cultivada de olival no Chile naquele momento podia andar à volta de 3000 ha, em compassos largos com variedades de mesa na maioria e alguma azeiteiras de origem italiana basicamente, com produções baixas e sem um rumo claro para onde ir. Via Wine, da família Coderch plantou em San Rafael os primeiros 80 ha. A partir daquele momento grandes famílias relacionadas com o mundo do vinho e outros sectores, como Elvio Olave, Clemente Eblen e Alfonso Swett lançaram-se no investimento de plantações entendendo que já dispunham de um sistema de produção eficiente que lhes permitia poder crescer para colocar o azeite chileno no mundo.